Revolução Francesa: Danton


Ao longo da História, a miséria tem provocado muitos motins, mas em regra não provoca revoluções. A situação da França, antes da Revolução, era a de um Estado pobre num país rico. 1

Gostaria de começar uma série de artigos que serão escritos sobre a Revolução Francesa. Estes não serão em ordem cronológica e muito menos de importância e, menos ainda, pretendem fazer uma discussão aprofundada sobre os significados, ou mesmo sobre os limites, de tão importante fato histórico. Não, o singelo objetivo destes artigos será o de apresentar, para os estudantes do ensino médio, um pouco mais sobre os acontecimentos e os personagens que marcaram esta chamada Revolução Francesa.

Para começar vou mostrar que, muitas vezes, mesmo os líderes das revoluções podem acabar sofrendo com o peso das mesmas. Dentre os nomes mais conhecidos na Revolução Francesa podemos destacar o de Robespierre, o de Marat e o de Danton. Estes foram líderes de uma facção que ficou conhecida como os jacobinos – mais radicais e violentos do que os girondinos, que eram mais moderados. Os jacobinos ganharam força principalmente após conquistarem algumas vitórias contras tropas de outros países europeus, tropas estas comandadas por nobres que viam na Revolução Francesa um perigo. Afinal, se a idéia de revolta popular se espalhasse pela Europa esses mesmos nobres poderiam perder seu secular poder. Esse medo não era sem fundamento, pois, liderados por Robespierre, os jacobinos, acusando o rei de ser traidor da Revolução, exigem que ele seja executado. O próprio rei já era prisioneiro dos revolucionários desde 1789, quando da queda da Bastilha. O desejo dos radicais vai ser realizado quando, em 21 de janeiro de 1793, Luís XVI vai ser guilhotinado ! A realeza, que um dia já havia pensado que “o rei é o próprio Estado”, estava morta pelas mãos do povo.




O Terror !

No ano da morte do rei começará a época da Revolução denominada “Período do Terror”. Nesta, todos os direitos conquistados com a Revolução de 1789 foram suspensos e todos passam a ser vistos como “potenciais traidores da Revolução”. Durante um ano milhares de pessoas serão presas, condenadas, sem direito à defesa, e guilhotinada em praça pública. A paranoia cresce a tal ponto que se alguém reclamasse, na fila da distribuição do alimento, pela falta de pão, poderia ser preso e guilhotinado por ser contrario aos ideias da Revolução !

É nesse momento que Danton, um dos líderes da Revolução, não vai concordar com tanta violência e vai tentar trabalhar para diminuir o Terror. Os jacobinos, então, se dividem entre os que acham a violência necessária para a manutenção da Revolução, e os que querem um abrandamento dos rigores do governo. Nesta disputa Danton perde. Influenciados por Robespierre, mais radical, Danton é preso e em 5 de abril de 1794, exatamente 216 anos hoje, é executado em praça pública na guilhotina. Morria assim o primeiro dos três líderes jacobinos desta Revolução.

Mas nem só de morte viveu a Revolução Francesa. Em um próximo artigo falaremos sobre um grande ganho para a humanidade que nasce neste momento: Declaração dos direitos do Homem e do Cidadão. Até mais !

1 - Pierre Gaxotte, La Révolution Française, Paris, Librairie Arthème Fayard.

Complemente sua leitura com este artigo:
Copyright© 2010-2017 HISTOSOFIA - modelo por Jason Morrow